Sempre acreditei que abençoados são os pais que tem filhos especiais. Acho que somos escolhidos a dedo! Sim porque com eles temos muito o que aprender e a ensinar.
Mesmo sendo um grande desafio é um momento único para nos tornarmos seres humanos melhores! Eu acredito nisso!
Meu filho hoje tem 6 anos. Ele nasceu com uma perda auditiva profunda bilateral, ou seja, surdo!
Criei esse espaço para ser o meu lugar de desabafo. Aqui compartilharei meus desafios, conquistas e também espero ajudar outras mães que tenham filhos surdo como eu ou qualquer outra deficiência.


sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Entrevista com o ator Bruno Fagundes

Olá pessoal tudo bem?

Tenho vários assuntos para atualizar aqui no blog,alguns bem legais e outros nem tanto.
Mas como é fim de ano pensei em fechar aqui com chave de ouro.

Trago aqui um bate papo com o ator Bruno Fagundes que está em Cartaz no teatro Tuca com a peça Tribos (na verdade a última apresentação do ano foi no último sábado dia 15/12 e  retorna dia 17 de janeiro).

Porque escolhi o Bruno?

Como voces já sabem, na peça Tribos o Bruno interpreta um surdo que nasceu em uma família ouvinte,politicamente incorreta e cheia de preconceitos. Foi criado totalmente oralizado. Tudo muda quando ele conhece Sylvia uma moça que é filha de surdos e está perdendo a audição. É assim que ele entra em contato pela primeira vez com a Libras e a comunidade surda!
Para saber mais, você tem que assistir! É um texto forte e emocionante.
Fora isso o Bruno me emocionou como pessoa e como mãe de surdo. O carinho e o brilho nos olhos que ele tem quando fala da peça realmente me encanta.


Vamos lá?



Sabine: Bruno, primeiramente quero agradecer a oportunidade de trazer você aqui no blog. Obrigada mesmo de coração.

Bruno: Eu que estou muito feliz em conceber essa entrevista para você, o prazer é todo meu.



Sabine: Qual foi a sua preparação para viver o Billy? Foi muito difícil? Antes de trazer a peça para o Brasil você pensou em  algo e depois da preparação mudou de ideia?

Bruno: Foi um desafio bastante estimulante. Todos os papéis que fazemos no teatro são difíceis mas alguns são mais complexos. Foi o caso do Billy. Eu, por ser ouvinte, nunca vou saber o que é ser surdo, como é a verdade desse personagem, como é e vida interna dele, seus medos, suas ansiedades, sua personalidade e como colocar tudo isso para fora de uma maneira cênica, mas extremamente verdadeira; foi muito algo enriquecedor. Antes de trazer a peça para o Brasil, eu  não pensei em fazer o Billy. Não sei quem o faria, mas definitivamente não seria eu. Quando comecei a, aos poucos, me envolver, entender a real dificuldade fui percebendo que mesmo parecendo impossível, não seria. E que, claro, seria uma "auto-injustiça" não faze-lo já que eu que descobri o texto, produzi a peça etc. Mas toda vez que penso no resultado tenho muito orgulho e me sinto honrado por ter dado vida a um personagem tão incrível.



Sabine: Você tinha ideia que Tribos se tornaria esse sucesso de público e crítica?
Digo isso porque tudo que li sobre a peça está muito bem avaliado e sei que voces tiveram casa cheia em todas as apresentações.

Bruno: Não tinha a menor idéia! Fazer teatro é sempre um tiro no escuro. São tantas variáveis que determinam o sucesso ou fracasso que, honestamente só sabemos quando a peça estréia. Mas no fundo, minha intuição me dizia que seria sucesso.


Sabine: Eu fico tentando imaginar qual a sua sensação depois de 3 meses em cartaz vivendo o Billy que é um personagem tão forte e intenso. Qual é o impacto disso em você? Você acha que alguma coisa mudou em você depois desse papel?

Bruno: Sem dúvida! Todo personagem deixa uma marca forte na pele, na alma, nos ossos. Mas com o Billy fui além. Quebrei barreiras da comunicação, expandi minha maneira de ver o mundo, me apaixonei pela vida de novo. Jamais serei o mesmo.



Sabine: Qual a cena que você mais gosta e por que?

Bruno: Acho muito difícil escolher. As cenas são tão bem montadas e a dramaturgia é tão precisa, que todas as cenas são impactantes. Em muitos momentos, mesmo quando estou sem fala, lá no canto, estou tão presente e imerso naquele universo que só sinto prazer por estar em cena.



Sabine: Bruno, acredito que você nesses últimos meses deve ter escutado várias histórias, depoimentos de familiares ou até mesmo de algum surdo adulto. Alguma te chamou atenção? Por que?

Bruno: Escutei muitos depoimentos emocionantes, histórias realmente incríveis. Mas ainda fico muito surpreso quando ouço relatos de preconceito, falta de entendimento, desamor. É inacreditável pensar que estamos na era do auge da comunicação, da troca, e ainda existem pessoas fechadas para uma realidade, só por ela ser diferente da sua própria.


Sabine: Bruno, você sabe que existe a comunidade surda onde usa Libras e tem surdos Oralizados usuários da língua portuguesa que geralmente não usa, não sabe E nem tem interesse por Libras. No final do espetáculo vcs sempre abrem um debate. Já aconteceu de algum surdo oralizado reclamar sobre a peça por ela dar um destaque para Libras?

Bruno: Não diretamente. Mas muitos surdos oralizados fizeram questão de se pronunciar e dizer que a escolha que fizeram foi, sem dúvida, a melhor. O que é completamente natural, somos 100% a favor da liberdade de escolha. 


Sabine: Hoje você consegue perceber a importância da acessibilidade nos teatros e nos eventos culturais em geral? Você acha que um dia chegaremos lá e a acessibilidade será algo padrão?

Bruno: Sem dúvida. Acho que estamos caminhando a passos de formiga, mas sempre avante. Isso que importa. Acho que o progresso é processual e lento, principalmente no nosso país, mas não podemos desistir ou desanimar.
 Vamos continuar fazendo nossa parte, isso eu garanto.



Sabine: Foi difícil ter interprete no palco? Quais as dificuldades em fazer esta adaptação?

Bruno: Não tivemos dificuldade nenhuma em ter a nossa maravilhosa amiga Mirian interpretando.Para nós não mudou nada. As sessões de acessibilidade me presentearam com os momentos mais emocionantes que a minha profissão poderia proporcionar. Eu anseio pelos dias acessíveis!


O público do meu blog é de grande maioria formado por família e pais de surdos. Pais que acabaram de descobrir a surdez do filho e ainda não sabe lidar com essa nova situação. Como você sabe meu Gui hoje em dia tem a Libras como primeira língua e estou muito feliz. Com a sua convivência e experiência nesses últimos meses em que você mergulhou nesse "mundo", o que você falaria para esses pais?

Bruno: Eu diria que encontrei na LIBRAS um mundo de possibilidades e me apaixonei pela língua. Quero aprender cada vez mais e usar esse conhecimento na minha vida pessoal, tenho até alguns projetos na cabeça. Mas, novamente, sou a favor da liberdade de escolha. Mas não da escolha imposta, ou mais aceita pela sociedade, a escolha que é melhor e mais natural para cada indivíduo com as suas próprias limitações e facilidades.


Sabine: Tem projetos futuros nesta temática ou com foco na acessibilidade? Foi só um projeto ou teremos mais novidades?

Bruno: Eu descobri a acessibilidade e a surdez com essa peça. Mas aprendi LIBRAS e fiz muitos amigos incríveis no processo (você é uma delas), então não quero desperdiçar esse conhecimento. Quero continuar próximo a comunidade, continuar me envolvendo. 


                     Bruno e Gui


Sucesso pra você Bruno! Estarei te acompanhando sempre. Mais uma vez parabéns e até ano que vem onde pretendendo mais uma vez assistir Tribos (risos).
Feliz Natal e um 2014 repleto de realizações.

Obrigado minha linda! Pela ajuda que você nos prestou, pelo carinho, atenção e amizade. Você mora no meu coração. Um beijo enorme pra você, pra toda sua família e um Natal e virada de ano maravilhosos! Ano que vez tem mais! rsrsrs


   Piquenique no parque da Luz onde o Bruno e Arieta estiveram presentes.


Agradeço meus amigos Cyntia Teixeira, Thyago Santos, Juliana Fernandes e Dani Takara que me ajudaram com a entrevista.

domingo, 27 de outubro de 2013

Surdez, Libras e saúde auditiva são destaques nas duas maiores emissoras da TV brasileira.

Boa noite pessoal tudo bem?

 Essa semana aconteceu um fato muito interessante. Surdez, Libras e saúde auditiva foram destaque na Globo e na Rede Record de televisão. 
 A primeira reportagem foi ao ar dia 24-10 no jornal SPTV 1ª Edição e o tema era sobre a poesia em Libras. A matéria ficou bem legal e teve a participação especial do Guilherme!! Eles gravaram lá na ONG Mais diferenças onde estava acontecendo um sarau de Libras e o Gui recitou a poesia a foca de Vinicius de Moraes. 




 Segue o link da matéria: 

  Como na reportagem não aparece a poesia inteira, vou compartilhar ela aqui com voces: 



  Depois de dois dias na Rede Record, o programa Câmera Record falou sobre saúde auditiva.
 O programa foi bem interessante, educativo e abordou vários assuntos diferentes sobre o mesmo tema que é a orelha.

 Vale a pena assistir. 
 Destaque para o professor surdo Vinicius Schaefer que foi um dos temas do programa, mostrando a dificuldade do surdo usuário da Libras e a falta de acessibilidade e conhecimento da sociedade. 
  


Destaque para a Fono ( e amada ) Cilmara Levy testando o volume do som que as pessoas ouvem com o fone de ouvido e explicando o porque esse volume não pode passar de 80 decibéis.



A exposição excessiva a ruídos pode lesionar as células da cóclea, ocasionando perda de audição.
Não é brincadeira não, cuidado com o volume do seu Mp3 e celular!

 Segue o Link:

  Bom,é isso! 
Acho muito bom a mídia começar a se interessar por esse assunto, não é mesmo? Quem sabe com mais destaque e conhecimento, conseguimos quebrar a barreira e os mitos que envolvem a surdez, Libras e a comunidade surda. 

 Beijos e ótima semana para nós! 
 Sabine Schaade

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Dia 26/09 é o dia do surdo!




Feliz dia do surdo para o meu surdo favorito!
Obrigada por você existir meu tesouro!
É por você que eu luto, que eu aprendo e eu sigo em frente.

Obrigada por me ensinar todos os dias o que é ser mãe e o que é ser "surdo". 

Obrigada por me deixar enxergar as suas necessidades e deixar eu seguir meu coração e lutar sem olhar para trás.


Obrigada por me fazer olhar não só por você, mas para todos iguais a você.

Obrigada pelo sorriso diário e seu amor!

Há 3 anos te recebi como mãe e aceitei a minha missão e acredito que Filhos Especiais, Pais abençoados!

Se algum dia chorei desesperada por ter um bebê surdo é porque eu conhecia os diversos caminhos que eu podia escolher para você. Hoje continuo chorando, mas não por desespero e sim por orgulho e emoção de ter um filho tão maravilhoso como você!

Vamos a luta meu filho!

Eu te amo! ❤️

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Peça Tribos em Cartaz no Teatro Tuca

Peça Tribos.

Pude acompanhar a trajetória da peça desde o começo.
No colégio do Gui conheci a Arieta Correa que me contou sobre a peça e fiquei encantada com o tema, claro.
Nas férias de julho ela me procurou, quis conhecer a minha história e passei o mês inteiro indo uma vez por semana na casa dela trocando experiências e falando sobre a minha visão sobre a surdez.
Recebi o texto, li ele inteiro e fiquei impressionada. 
No último sábado dia 14/09 Tribos nasceu!


Fui convidada a assistir e foi muito bom porque uma coisa é ler o texto outra coisa é ver ao vivo a história ali viva na minha frente.
Parabéns a todos os atores que participam e parabéns pelo esforço e verdade que vcs passam para o público.
Bruno Fagundes como Billy e Arieta como Sylvia estão perfeitos!

A peça fala sobre conflitos em família, surdez e preconceito.

Recomendo a todos.

Tuca - Teatro

R. Monte Alegre, 1.024 - Perdizes - Oeste. Telefone: 3670-8455.
Ingresso: R$ 50 (sex. e dom.) e R$ 60 (sáb.). 

sexta e sábado: 21h30.
domingo: 18h.
Evento por tempo indeterminado.



domingo, 18 de agosto de 2013

Um ano de Libras! Saldos e balanços...

Bom dia pessoal tudo bem?

Eu não poderia deixar passar em branco essa data tão especial que mudou a minha vida e a minha visão em relação a surdez :
No mês de agosto faz um ano que optei em buscar e inserir a Libras para o Guilherme.
A princípio confesso e quem acompanha o blog sabe que foi uma sugestão da fono que fazia os mapeamentos do IC do Guilherme, no formulário padrão que ela usava, o Guilherme estava atrasado...

                                  
   
Quem me acompanhou  sabe muito bem o quanto eu sofri. Entrei em luto pela segunda vez, fiquei revoltada e xinguei meio mundo. Não pelo fato da Libras, não era isso, mas me senti enganada mesmo, desanimada, afinal para que tanto esforço? Tínhamos uma rotina insana...Guilherme fazia fono 2 vezes por semana, mais1 vez com a madrinha e frequentava o programa espaço escuta as terças. Ou seja, 4 vezes por semana cuidando de sua "audição" e como assim depois disso tudo ele estava atrasado.
Naquele momento senti como se tudo isso não tivesse servido para nada, um ano e meio jogado no lixo.
Aliás eu me senti um lixo.
Me questionava onde eu tinha errado e porque o meu filho não estava ouvindo como deveria.
 Me lembrava de uma consulta com a antiga fono que fazia a programação do Gui e ela me falou que esperava uma audio do Gui com 15 db. Oi?!?! onde foi parar essas "promessas"? 
Porque isso aconteceu só comigo? achava que era só comigo sim porque até então só conhecia casos de sucesso.

Quantas brigas em família...A culpa nessa hora sempre é da mãe...Depois a culpa foi da Fono ( a fono de terapia) que todos achavam que não fazia a terapia corretamente...Mais brigas, mais discórdias e quase vi minha família  indo para o ralo junto com a audição do Guilherme.

"Mas e a mal formação da Cóclea do Guilherme será que esse "atraso" auditivo e essa audio tão ruim é por causa dela?" Questionei a fono da programação.

" Mal formação?" - respondeu ela.

Saí daquela porta para nunca mais voltar.

Fiquei revoltada! 

Procurei o Otorrino do Gui e disse que não queria continuar os mapeamentos com aquela equipe.
Fui atendida prontamente, ele me deu carta branca para escolher outra. Hoje o Gui faz os mapeamentos com a Sandra Sant'Anna e estou muito satisfeita com os resultados ( isso vou deixar para um outro post).
 
Para quem não conhece ou não sabe, o IC precisa de acompanhamento e programações específicas para o bom funcionamento do mesmo e para isso existem fonos especializadas em programação.
No caso do Gui ele fazia programações com a equipe do otorrino e as terapias com a Cilmara Levy, que o acompanha desde os 3 meses de idade e que todos sabem o amor e carinho que eu tenho por essa mulher. Sofreu junto comigo, me deu colo quando precisei, me ajudou e ainda cuidou com amor e carinho do Gui.  

Agradeço imensamente a dedicação do Otorrino do Gui porque ele estudou muito o nosso caso e o sempre tratou com muita responsabilidade. Nem sei como ele conseguiu inserir os 22 eletrodos na cóclea tão mal formada. Ele mesmo disse que o caso do Gui é o melhor caso de mondini que ele operou até hoje.
Não é a toa que eu o escolhi. 

                                            
 
      Gui e o Dr Rubens
   

Onde tudo se perdeu? 
Eu ainda não sei responder ou quem sabe até sei, mas acho que não vale a pena pontuar isso agora.
Hoje nem acho que perdi...
Talvez perdi tempo...
...tempo de curtir mais o meu pequeno que sempre foi o bebê e criança mais amável que eu já vi...

Libras aí vamos nós...

Eu já conhecia um colégio bilingue. 
Quando o Guilherme tinha um ano conheci a Sabine minha xará e diretora do Centro de Educação para surdos Rio branco, conheci o colégio e não voltei mais, afinal o Gui tinha acabado de fazer a cirurgia e pensava eu que a Libras não era necessária.
Um ano depois, bato novamente na mesma porta e fui acolhida com muito amor e carinho.

Agosto de 2012 Guilherme começa a frequentar o PED Programa de Estimulação do Desenvolvimento
do CES e foi lá que tivemos nosso primeiro contato real com a Libras.

  



O Guilherme se encontrou!
Nunca mais tive dúvidas de que esse era o caminho. Seusmolhos brilhavam e ele foi aprendendo muito rápido essa nova língua.
Mas e aí? Só o Guilherme saber Libras não bastava, na minha cabeça é óbvio a família aprender também.
Fazia aula no CES, fiz um semestre de básico no Seli e ainda fazia aulas particulares com o Prof. Fábio de Sá.
Hoje continuo fazendo curso de Libras para pais no colégio Rio Branco.

No dia 26 de setembro, dia Nacional do Surdo, conhecemos a tão falada comunidade surda:

                         


Ao contrário do imaginava e fui alertada, fomos acolhidos com muito carinho e nela conhecemos e ganhamos grandes amigos que me ajudam e muito a conhecer as necessidades, barreiras e dificuldades que uma pessoa surda enfrenta.


O Guilherme hoje está muito bem! A palavra "atrasado" faz parte de um passado que nem faço questão de lembrar porém ele foi essencial para hoje eu ter outro olhar em relação a surdez.

A Libras é uma língua e não prejudica em absolutamente nada a oralização da criança. 
Em um ano o Gui deu um salto absurdo em termos de linguagem.
Há um ano ele não entendia nada quando eu falava (oralmente) com ele. 

Hoje através da Libras conversamos, contamos histórias, o Gui me conta sobre a rotina da escola, sabe contar até 10, sabe todas as cores, consegue formular frases, pedir as coisas, brigar, inventar histórias, enfim, tudo que é  esperado de uma criança de 3 anos e meio ele sabe.

Quanto a audição recomeçamos do zero, mas está indo muito bem, agora acredito que ele está com a programação certa porque apesar do pouco tempo ele tem respondido muito melhor aos sons. O fato do Gui saber Libras tem ajudado também na terapia.








Hoje em dia participo quando eu posso de tudo que é relacionado a acessibilidade e direitos para os surdos e estou junto na luta pelos os direitos que infelizmente existe só no papel.

E para as mães que lêem meu blog e ficam na duvida sobre o desenvolvimento do filho e sobre a Libras eu digo: Siga o seu coração!  
Não encare a Libras como um fracasso, ao contrário, a criança só tem a ganhar. Se algum dia alguém falar isso para você tenha pena dessa pessoa ser tão mal informada. Se uma criança ouvinte pode aprender desde pequena português e inglês sem uma língua prejudicar a outra e ser motivo de orgulho para os pais, porque com a Libras seria diferente?



Hoje um ano depois eu falo com muito orgulho que o caso do Guilherme é um caso de sucesso!

Beijos Sabine Schaade

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Manifestações em S.P: Guilherme dá o seu recado em Libras!


Boa tarde pessoal!

Terça feira dia 18/06 o Guilherme saiu mais cedo da escola por causa da manifestação que aconteceria perto da escola.

A professora explicou para eles o porque que estavam saindo mais cedo, mostrou fotos e eles ficaram bem interessados!
chegando em casa ele começou a contar o que estava acontecendo. Resolvi filmar e coloquei no meu Facebook. O resultado foi uma coisa incrível! Nem consigo mais contar quantos compartilhamentos o vídeo teve.

Resolvi compartilhar aqui com voces!
Acho importante ressaltar que nunca devemos subestimar as crianças. Claro que o conteúdo do que falamos depende muito da idade, quanto mais velha a criança mais detalhe ela vai querer, no caso do Gui que tem apenas 3 anos explicamos de uma forma bem simples, mas ele entendeu e dá o seu recado:
    



 "Hoje muitas pessoas estão na rua porque o ônibus está muito caro. Não pode! As pessoas estão tristes e bravas, não pode...porque o ônibus está caro. Obrigado!

Aqui o mesmo vídeo, mas legendado:

  




Esse é o futuro do nosso País, não podemos deixa-los sem informação!


 


Beijos

Sabine Schaade
  




INES faz DVD sobre Implante Coclear

Bom dia,

Voces já viram o vídeo que o INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS - INES fez sobre o IC?

Vale a pena assistir: Implante Coclear

Outra novidade bem legal ( que não é mais tão novidade assim ) é a TV INES. 

INES, Instituto Nacional de Educação de Surdos, apresenta a TV INES, uma iniciativa pioneira e inédita no Brasil: a primeira televisão para surdos do país, sendo transmitida pela internet, desenvolvida em parceria com a instituição sem fins lucrativos.

A TV conta com uma grade bem variada  

Segue o link: TV INES

Encontra-se disponível o aplicativo TV INES, nos sistemas IOS e Android. Para conhecê-lo basta baixá-lo em seu aparelho celular ou tablet!

Eu tenho, acho bem legal!

Beijos

Sabine Schaade


quinta-feira, 30 de maio de 2013

Grupo criado no Facebook

Boa noite pessoal!

Essa semana eu abri um grupo no Facebook chamado Libras e Implante Coclear, um caminho possível!
Convido todos que acreditam, que goste da ideia ou simplesmente alguém quem tenha alguma dúvida a respeito não só do IC e a Libras mas da surdez em geral. Entre e faça parte do nosso grupo.


Segue o link: 
Libras e Implante Coclear, um caminho possível! 

Descrição do grupo:

"Grupo criado para reunir mães, famílias, usuários e profissionais que acreditam nos benefícios e usam o IC e a Libras juntos.
Espaço aberto para tirar dúvidas, compartilhar experiências, desabafar e debater o assunto."

O grupo ainda está engatinhando mas temos mães, familiares, fonos, professoras, médico, surdos adultos, intérpretes de Libras e pessoas interessadas pelo tema.

No grupo a palavra chave é o respeito, ok? O grupo aparece como fechado mas é só pedir para entrar que eu aceito, ok?

Estou convidando mães e familiares para compartilhar a sua própria história lá no grupo mesmo que não tenham escolhido o caminho do IC ou da Libras... Eu acho que cada depoimento e história diferente ajuda e muito outras mamães trilhar o próprio caminho.

Beijos e ótimo feriado para todos.

Sabine Schaade

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Ser feliz!

Eu não defendo nenhum grupo, defendo apenas a felicidade do meu filho. Surdo ele é isso é um fato, então bora ser feliz?








Sabine Schaade



Comemoração dos 1000 Implantes Cocleares do HCFMUSP


Gui com seu IC e suas mãos sempre em movimento.


O Hospital das Clínicas celebrou ontem quarta-feira dia 15/05 a milésima cirurgia de Implante Coclear.
Confirmei minha presença no ultimo segundo do 2º tempo e foi muito bacana.
É sempre muito bom poder encontrar as pessoas, trocar experiências e ser livre para andar em todos os grupos.
Fomos recepcionados com um coquetel onde era possível bater papo com os pais, usuários e até os médicos que estavam circulando por lá.
Encontrei com o Dr Rubens que ficou surpreso em ver o Gui tão bem e até chamou o Dr. Ricardo Bento para ver o Gui. Contou rapidamente para ele sobre a mal formação do Gui, dizendo que era um caso de mondini total, cóclea totalmente mal formada e me perguntou por quanto tempo o Gui ficou sem um estimulo correto.
Eu respondi: 2 anos! 
Mas Ficou muito feliz em saber que finalmente acertamos a programação e que o Gui em 2 meses de nova programação está falando várias palavrinhas ( Aliás isso é assunto para um post, em breve vou compartilhar isso aqui com vcs).

Encontrei também a antiga fono que fazia a programação do Guilherme e ela veio me falar que estava sabendo que o Gui estava ouvindo bem e que estava ótimo!! Pois é, está, Graças a Deus, graças a mãe dele que sempre correu atrás e graças a nova fono da programação que tem experiência e conseguiu finalmente depois de 2 anos acertar o mapeamento ideal para o Gui.

Uma mãe ou fono( na verdade não deu tempo de perguntar o nome) lembrou de um depoimento que eu dei no Gatanu em 2011! Nossa, faz tempo, fiquei feliz pela lembrança e pelas palavras.

Depois fomos para o auditório e começou a celebração. O Dr. Ricardo Ferreira Bento contou a história do grupo, como tudo começou até chegar nos dias atuais.



O governador Geraldo Alckmin participou do evento.


O governador participou do evento ao lado da secretária estadual dos Direitos das Pessoas com Deficiência, Linamara Rizzo, e do secretário estadual de Saúde, Giovanni Guido Cerri.



Gui e o Sr. Claudio Rigamonti presidente da Politec e idealizador do Programa Espaço Escuta.


Gui e o governador Geraldo Alckmin.


Achei muito bom que o evento contava com uma interprete de Libras. Algo básico já que o evento na verdade é para um publico surdo e seus familiares. Crianças e adultos surdos que fazem a cirurgia do IC.
Ok, a grande maioria que estava lá eram surdos oralizados, surdos em processo de oralizar,  com IC que na maioria dos casos defende-se que não precisam de Libras e etc... Mas não consigo deixar de achar muito bom já que existe sim muitos usuários de IC que usam Libras também.

Eu sempre falo que o Implante Coclear é a realidade nos dias de hoje. Cada vez mais vamos ouvir falar e vejo que está quase que automático a criança que nasce surda acabar passando pelo processo da cirurgia.

Não acho errado, o Guilherme tem IC! Nós fizemos a cirurgia no Gui mesmo sabendo da Mal formação que talvez não fosse um caso de sucesso. Os pais buscam o que eles acham e acreditam que o melhor para o seu filho.

Só acho que tem quem ter muito cuidado. Estamos falando de vidas e não de números, o implante não é para todos ( NÃO É), a família tem que estar consciente que o resultado em cada criança é diferente e não sentir lá na frente culpado se o resultado não for 100% satisfatório. Ando vendo muitas mães  que só consegue enxergar o filho como uma orelha, um Implante. Parece que sem isso o filho não é nada! 
O processo é lento, muito lento... Se vc acredita nisso vá em frente, mas olhe para o seu filho como uma criança, como ele exatamente é. O tempo passa muito rápido e vc pode estar perdendo coisas e momentos maravilhosos com o seu filho.
A comunicação é algo muito maior que um aparelho, ela vem de dentro, do coração!

Por isso cada dia que passa acredito que escolhi o caminho certo, Escolhi o caminho do amor!
O Gui está muito bem, cada dia novos sinais e novos sons.
Uma coisa não impede a outra!


Coloquei um texto ontem na nossa página do Facebook e quero compartilhar aqui com vcs:


"Surdo sim, mudo e incapaz jamais!
Falo com as mãos, com meu corpo, com o olhar e também com a minha voz! Essa aliás cada dia mais presente na minha rotina e de forma natural.

"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino." 

Libras + IC = Porque não? O surdo jamais deixa de ser surdo por usar um aparelho.

Meu filho é muito mais que um aparelho, consigo reconhece-lo com ou sem IC. 
Amo-te assim como você é porque você é único e especial!

E que venha mais sinais, que venha mais sons e quem sabe mais voz. Estarei sempre ao seu lado!! ♥" Sabine Schaade


Beijos e até a próxima

Sabine

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Por cuatro esquinitas de nada!

Olá pessoal, tudo bem?

Essa semana começou minhas aulas de Libras no Centro de Educação para Surdos Rio Branco (uhuuu) e a professora colocou um vídeo muito lindo que eu não conhecia chamado " Por cuatro esquinitas de nada"
Na hora eu anotei o nome já pensando em compartilhar com vcs.



A mensagem é linda! Ao invés cortar os quatro cantinhos do quadrado para que ele possa entrar no ambiente dos amigos que são todos redondos, resolveram adaptar o espaço fazendo uma porta quadrada ao invés da redonda de antes.

Um ótimo material para reflexão sobre nosso papel inclusivo em aceitar o diferente e ao invés de tentar muda-lo da forma que achamos o "correto", aceitar como ele é com suas necessidades e limitações, tentando adaptar o tempo e o espaço em prol da interação de todos.
Também trata da questão da acessibilidade aos espaços físicos.

É um vídeo simples, porém perfeito.
Eu me identifiquei muito com ele e acredito que aconteça o mesmo com vcs.

Eu amo o meu quadradinho!!!








sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Filmes Educativos

Boa tarde pessoal, tudo bem?



Recebi um email da minha querida xará indicando o site do Ivan Trocolli.
O Ivan é colecionador de filmes e a mais de 4 anos ele vem fazendo esse trabalho. Uma amiga dele tem uma filha surda e sempre falava da dificuldade em encontrar filmes sobre o tema e a importância que tem para nós família ( eu particularmente gosto muito de assistir esses filmes).
Então o Ivan começou a procurar e foi fazendo um acervo que hoje possui mais de 100 títulos. Muitos nem foram lançados no Brasil e ele mesmo fez a tradução e as legendas.

Todo mês tem novidade e a lista completa está no site:
Filmes Educativos

Boa parte do acervo está na lojinha virtual e é bem baratinho:
Lojinha Virtual

Eu achei o máximo! Ele tem o Hammer que eu já assisti mas nunca achei para comprar e também vi títulos que eu nem conhecia. Fora que também tem filmes de outros temas.


Beijos Sabine.

- Postado via iPad

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

3 anos Guilherme

Três anos se passaram...




Lembro como se fosse hoje o meu desespero quando descobri que estava grávida.
Não foi uma gravidez planejada! Já tinha 3 filhos, não operei nem meu marido apesar de sempre falarmos do assunto nunca tomamos uma ação.

Tomava pílula e esqueci de tomar 2. Tomei pílula do dia seguinte e desencanei, afinal ainda amamentava o Giovanne ( que já tinha 2 anos).
Nem me lembrei mais do assunto, na minha cabeça já estava tudo resolvido.
O mês virou a menstruação não veio e começou a preocupação...Conversei com algumas amigas que falaram que poderia ser o efeito da PS, afinal ela mexe com o organismo. Passou alguns dias e nada.
Comprei teste de farmácia e deu positivo!

O mundo desabou na minha cabeça. Só chorava. Estava em um outro momento da minha vida, acabando de fazer um curso no Senac de maquiagem e já com contatos de trabalhos voltado para moda/tv e fotografia que era o que queria me dedicar.

Fui até minha médica desesperada ( sem ninguém saber) e ela me falou para ter calma e me pediu um exame de sangue com urgência e fui até o hospital fazer. O resultado saia em algumas horas, mas eu fui para casa. Pedi para uma amiga minha olhar na net o resultado e me avisar porque na época não tinha celular que entrava na internet.
Estava quase chegando na minha casa quando ela me liga e fala: " Sá vc está gravidíssima" ou algo assim porque não me lembro.
Eu já imaginava esse resultado, mesmo assim não conseguia aceitar.
Não sabia como falar para a família nem para o marido.
Meu marido entrou em choque e a família vibrou. Rs
Minha médica pediu um ultrassom e quando ouvi o coração pela primeira vez batendo a coisa já mudou de figura. Mas mesmo assim fui levando a gravidez sem muita empolgação.

A única certeza que eu tinha e com o exame na mão falei para minha cunhada ( e melhor amiga) que ela seria a madrinha!
Certas coisas não tem explicação, não é mesmo? Porque não poderia ser outra pessoa. A Fernanda teve, tem e terá um papel muito importante na nossa vida.
Profissão da madrinha? Fono!
Mal sabia eu o que isso ia me ajudar depois do nascimento.




Madrinha e melhor amiga.


A gravidez foi seguindo, descobri que era um menino, escolhemos o nome Guilherme que além de achar o lindo foi uma forma de homenagear minha vó que havia falecido a pouco tempo e senti muito dela não ver mais um bisneto. Infelizmente foi o único filho meu que ficou sem o xale maravilhoso que ela fazia de lã!

Guilherme nasceu no dia 15 de fevereiro de 2010!





Tudo estava muito bem, ele era um bebê lindo e todas as enfermeiras babavam nele dizendo que era o bebê mais elegante da maternidade.rs

Passaram oferecendo o teste da orelhinha que era pago e fizeram. Lembro até que fui até o berçário olhar a Fono fazer.
Depois do teste ela saiu dizendo que deu negativo mas que era comum pq poderia ser o líquido e etc... Etc..
Na hora liguei para minha cunhada e ela conversou com a Fono mas não tinha o que ser feito a não ser aguardar 30 dias para fazer o Bera.
Resolvemos não contar para a família para não fazer alarde.
Fiquei preocupada mas tentei segurar minha ansiedade e esperar o Bera.

Mas um fato chamou a minha atenção e ali tive certeza que o Gui era surdo:

Estava no quarto deles e sem querer derrubei uma pilha de brinquedos que fez muito barulho. Olho para o berço e ele continuava dormindo como um anjo.

Depois disso veio o Bera e o resultado que o Guilherme tinha surdez profunda. A Fono do IPO a Dra Flavia foi de uma delicadeza, um cuidado que jamais esquecerei. Aliás queria muito encontra-la para contar como está o Gui.

Bem, depois de tudo isso começou a corrida atras de algo que eu nem sabia o que era! Hahahaha
Minha cunhada falou do implante Coclear que era algo que eu morria de medo (com um ano o Guilherme acabou fazendo), mas parecia ser a única opção para tentar oferecer uma audição próxima a nossa.

Com 3 meses ele colocou o AASI E começou a fazer terapia com a nossa amada Cilmara onde ele continua até hoje.





Nesse meio tempo descobrimos a mal formação da cóclea onde nem tínhamos certeza se ia conseguir fazer a cirurgia do IC.
Mas a cirurgia deu certo e semana que vem faz dois anos que o Gui é implantado.
Muitas emoções, muitos sacrifícios, muitas frustrações e muitas e muitas alegrias e vitórias!

Hoje como vcs sabem o Gui está em uma escola Bilingue que é o Rio Branco onde fui muito bem acolhida e recebida por toda equipe e está muitíssimo bem com a Libras e a oralização que continua através da Fono e da nossa estimulação em casa.

Tive meu momento de luto?

Tive sim, chorei muito porque além de não ter sido uma gravidez planejada Deus ainda me dá um filho surdo.

Porque comigo?

Eu apesar de ser batizada na igreja Evangélica Luterana, há uns 15 anos descobri o Espiritismo e é nele que eu acredito.
Então eu sinceramente tenho comigo que fui escolhida a dedo para ter o Guilherme e acredito com toda a certeza do meu coração que não era para ser diferente.

Escrevo isso em lágrimas mas não de tristeza e sim de alegria de te-lo comigo. O Guilherme é coisa mais linda que a vida me deu e com ele aprendo diariamente como é ser uma mãe e mulher de verdade.
Através de você estou tendo a oportunidade de conhecer pessoas maravilhosas, ajudar outras famílias e conhecer novos mundos!

Te amo meu filho do fundo do meu coração e por você eu enfrento qualquer Guerra e qualquer batalha!


Feliz aniversario sinalizado, cantado e falado!!!





Sabine

-Postado via iPad

Homenagem aos 3 anos do Guilherme!

                                   
                                               Bom dia!


Hoje meu dia começa de uma forma muito especial porque é aniversário de 3 anos do Gui!
3 anos! Como passa rápido!

A música a seguir é a música que canto para ele praticamente todos os dias!


Por perto - Música em família. (clique no nome da música para ouvir)


Quando eu olho nos seus olhos de manhã
Eu nem penso o dia que eu vou ter
Eu nem lembro as coisas que eu tenho a fazer
Eu só quero estar por perto
Quando eu ouço as gargalhadas de manhã
Eu nem penso se eu vou trabalhar
Eu nem lembro se ainda existe outro lugar pra ir
Eu só quero estar por perto
Eu só quero ver o amor crescer
Eu só quero ver a minha flor crescer
Eu só quero ver as coisas que você aprontou
Se você vai bem
Fica tudo bem
Quando eu olho nos seus olhos de manhã
Eu nem penso se já amanheceu
Eu nem lembro quando foi que anoiteceu
Eu só quero estar por perto
Eu só quero estar por perto
Eu só quero estar por perto
Eu só quero ver o amor crescer
Eu só quero ver a minha flor crescer
Eu só quero ver o amor crescer
Eu só quero estar por perto
Eu só quero ver o amor crescer
Eu só quero ver a minha flor crescer
Eu só quero ver o amor crescer
Eu só quero estar por perto
Eu só quero estar por perto
Eu só quero estar por perto
- Postado via iPad

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Menino de 9 anos dá exemplo de solidariedade no convívio com irmão que sofre de paralisia

Bom dia,


Quero compartilhar essa linda matéria exibida no Fantástico que um exemplo de amor e determinação. Vale a pena assistir e se emocionar com essa história.




Veja a matéria Aqui


"Conner nunca desistiu de realizar o grande sonho dos poucos anos de vida dele: se divertir junto com o irmão, que sofre de paralisia cerebral. Eles encararam o desafio de enfrentar um campeonato de triathlon para crianças."






Beijos Sabine

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Primeiro dia de aula

Boa noite pessoal tudo bem?

Dia 31/01/2013 foi o primeiro dia de aula do Guilherme.
Foi um momento de muita felicidade e emoção.






Eu estava muito ansiosa, esperando por esse momento sem saber como seria a reação do Gui. Medo dele chorar, não se acostumar, não comer lanche...enfim, preocupações de mãe!

Resumindo: Quem chorou fui eu!

O Gui ficou ótimo, não chorou em nenhum momento e estava em casa! Hahahaha

Sabe aquele ditado que diz que a melhor escola do mundo é onde seu filho está feliz? Pois é a pura verdade.
Confiar na escola e nos profissionais dela é o passo número 1 para uma história de sucesso. Fico tranquila nessa parte porque confio no Rio Branco de olhos fechados!
Sei da capacidade dos profissionais de lá e a dedicação que eles tem com as crianças surdas.
Ver meu filho feliz é a certeza que fiz a melhor escolha.






Um dia antes nós tivemos uma reunião onde tiramos todas as nossas dúvidas e também fomos apresentados para as professoras. Isso me deixou mais segura, mas também fez minha ansiedade aumentar.

Achei muito legal poder entrar na escola e deixar o Gui dentro da sala. Aliás fiquei lá dentro por um período e isso me deixou mais segura. Mas quando entrei e vi a Sandra ( que é a Fono do colégio ) na sala e fui abraça-la não segurei o choro.

Foi um choro com mistos de sensações.
Pedi perdão por se em algum momento ter duvidado da capacidade do Gui. Hoje eu sei que ele é capaz de tudo assim como qualquer outra criança.





Uma nova etapa começa aqui e aos poucos vou compartilhando com voces as novidades, ok?




Ha me contem se eu sou muito exagerada ou se para voces também foi difícil deixar o filho na escola no primeiro dia?

Beijos

Sabine Schaade

- Postado via iPad